Relíquias: Origem e Perdição

Personagens:

  • Kari e Kairus, Os Ferreiros de Relíquias Transcendentais.

  • Vennir, O Deus do Toque Profano.

  • Fosq, O Emissário dos Deuses Transcendentais.

  • Agon, O Deus do Caos.

Os Irmãos Kari e Kairus, nasceram do choque de dois deuses transcendentais, e ao nascerem, foram jogados um para cada canto da imensidão do universo, eles nunca se viram, mas sua conexão um com o outro supera toda esta distância, estes chamados de Os Ferreiros de Relíquias Transcendentais, eles usaram seus dons para forjar relíquias para os deuses transcendentais, criando objetos indestrutíveis e inserindo em cada um um poder único e especial.

Kari, é a melhor quando se trata de forjar objetos mais brutos, robustos, rudimentares e sem muitos detalhes, o contrário de seu irmão. Kairus, extremamente detalhista, relíquias talhadas de formas complexas, com escritas que poucos são capazes de compreender.

Para compensar seus pontos fracos diante de suas forjas, Kari pede assistência a seu irmão Kairus na parte detalhista e o mesmo serve para Kairus, que pede assistência na parte rudimentar das relíquias, no entanto somente um deus é capaz de atravessar o universo em pouco tempo, este é Fosq, O Emissário dos Deuses Transcendentais, com sua incrível velocidade capaz de romper qualquer barreira de velocidade, incluindo a velocidade da luz.

Fosq mesmo com toda a sua astucia em manter suas mensagens e cargas intactas, com as relíquias é diferente, pois ele quase sempre falha, pelo fato de Vennir, O Deus do Toque Profano sempre interceptar Fosq.

"Me entregue a relíquia!" Diz Vennir, com o mesmo discurso, que se repete, todas as vezes.

"Não senhor! Ela não lhe pertence!" Responde Fosq.

"Fosq, você só é o que é, por causa do Nada que habita em você, e eu sou seu representante aqui no Espaço, por este motivo você é meu escravo e eu vou te lembrar disso todas as vezes." Argumenta Vennir.

E então Fosq apenas abaixa a cabeça e estende a relíquia para o Deus do Toque Profano, e ele toca a relíquia e diz "Eis que surge mais uma Relíquia Profana!". E em seguida Fosq segue a dica que recebeu na primeira vez que este ocorrido aconteceu.

"Não entregue a relíquia profanada para o outro ferreiro, pois eles irão ficar extremamente nervosos, podendo causar um colapso além de destruírem a relíquia." Esta foi a fala de Agon, O Deus do Caos, logo depois da primeira interceptação de Fosq, efetuada por Vennir.

"Sugiro que jogue as relíquias profanadas em lugares do universo que os ferreiros não poderão ver." Conclui Agon.

Desde então, Fosq joga as relíquias em lugares aleatórios do universo, longe dos olhares de Kari e Kairus. Este ciclo se iniciou no surgimento da segunda geração de deuses transcendentais, e acontece até hoje.